Desenvolvimento agronômico e produtivo da soja sob diferentes doses de gesso agrícola

João Paulo Ascari, Inês Roeder Nogueira Mendes

Resumo


A soja é uma das principais culturas que movimentam o agronegócio brasileiro, por isso torna-se necessário adotar técnicas que influenciam a melhoria da qualidade do solo, como a gessagem. Com este estudo, objetivou-se verificar a influência de doses de gesso agrícola no desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da cultura da soja. O experimento foi conduzido na Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Tangará da Serra. O delineamento experimental foi em blocos casualizados (DBC) com cinco tratamentos, sendo 0, 1, 2, 3 e 4 t ha-1 de gesso agrícola, com quatro repetições. Foi realizada a calagem e a gessagem aos 30 e 60 dias antes da semeadura, respectivamente. A
semeadura foi realizada na segunda quinzena do mês de novembro com a cultivar P98Y30 em solo adubado no sulco. As avaliações foram  realizadas em 10 plantas aleatórias no estádio fenológico R9. Observou-se que as variáveis altura de planta, altura da primeira vagem, número de nós, número de vagens por planta, massa de 100 grãos e produtividade foram influenciadas de forma significativa pelas doses de gesso agrícola, em que os melhores resultados ocorreram na dose de 2 t ha-1, entretanto, o diâmetro do caule não sofreu influência. Com base no exposto, verificou-se que a dose de 2 t ha-1 de gesso agrícola apresentou o melhor efeito no desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da soja.


Palavras-chave


Glycine max L. Gessagem. Produtividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v9n420171014

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.