Fenologia de espécies arbóreas visando à recuperação de áreas degradadas no município de Machado (MG)

Danilo Oliveira de Castro Lima, Walnir Gomes Ferreira Júnior, Wander Duarte Cruz Júnior

Resumo


Sabe-se que uma das características das matas semidecíduas é a evidente dupla estacionalidade proporcionada por um clima com estações bem definidas: uma de chuvas intensas de verão, seguida por outra com um período de estiagem. Este tipo de clima define as estratégias de floração e de reprodução dos indivíduos. Assim sendo, este trabalho foi realizado com o objetivo de levantar dados comportamentais de dez indivíduos, de seis espécies diferentes (Euterpe edulis Mart., Vernonanthura divaricate (Spreng.) H.Rob., Manihot pilosa Pohl, Anadenanthera peregrine Speg., Piptadenia gonoacantha J.F.Macbr. and Miconia chartacea Triana) e um indivíduo de Platycyamus regnellii Benth, observando seus comportamentos ao longo de um período que abrangeu as duas estações, e de testar a sazonalidade de fenofases reprodutivas dos indivíduos em questão. Para isso, fizeram-se observações mensais das fenofases vividas por cada indivíduo relacionando-as com variáveis climáticas. Os dados foram tratados por meio de análises de estatística circular para verificar a sazonalidade reprodutiva e teste de correlação a fim de determinar o índice climático de maior evidência. Os resultados apresentaram uma relação entre precipitação/temperatura e a fase reprodutiva das espécies. A não sazonalidade na produção de diásporos atestada pode ser reflexo da anormalidade climática vivida no período, de forma que a estação seca do ano é a época mais recomendável para coleta das espécies investigadas.

Palavras-chave


Mata Atlântica. Biologia reprodutiva. Fenofases. Sementes florestais. Estatística circular.

Texto completo:

Português English

Referências


ANDREIS, C.; LONGHI, S. J.; BRUN, E. J.; WOJCIECHOWSKI, J. C.; MACHADO, A. A.; VACCARO, S.; CASSAL, C. Z. Estudo fenológico em três fases sucessionais de uma floresta estacional decidual no município de Santa Tereza, RS, Brasil. Revista Árvore, v. 29, n. 1, p. 55-63, 2005.

AQUINO, C.; BARBOSA, L. M. Classes sucessionais e síndromes de dispersão de espécies arbóreas e arbustivas existentes em vegetação ciliar remanescente (Conchal, SP), como subsídio para avaliar o potencial do fragmento como fonte de propágulos para enriquecimento de áreas revegetadas no rio Mogi-guaçu, SP. Revista Árvore, v. 33, n. 2, p. 349-358, 2009.

ARAÚJO, R. S. Chuva de sementes e deposição de serrapilheira em três

sistemas de revegetação de áreas degradadas na Reserva Biológica de Poço da

Antas, Silva Jardim, RJ. 2002. 92f. Dissertação (Mestrado em Ciências ambientais e florestais) – Instituto de Florestas, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2002.

ARAÚJO, V. K. R.; SANTOS, D. M.; ARAÚJO E. L. Análise da riqueza e composição de espécies no banco de sementes em uma área de floresta tropical seca (caatinga)

após simulação de um período de seca. In: SEABRA, G.; MENDONÇA, I. (org.).

Educação ambiental: Responsabilidade para a conservação da sociobiodiversidade. 1. ed. João Pessoa: Universitária da UFPB, 2011. p. 84-91.

APG IV. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, 2016, 181, 1–20.

AUGSPURGER, C. K.; KELLY, C. K. Pathogen mortality of tropical tree seedlings: experimental studies of the effects of dispersal distance, seedling density, and light conditions. Oecologia, v. 61, n. 2, p. 211-217, 1984.

BATALHA, M. A.; MANTOVANI, W. Reproductive phenological patterns of cerrado plant species at the Pé-de-Gigante Reserve (Santa Rita do Passa Quatro, SP, Brazil): a comparison between the herbaceous and woody floras. Revista Brasileira de Biologia, v. 60, n. 1, p. 129-145, 2000.

BENCKE, C. S. C.; MORELLATO, L. P. C. Comparação de dois métodos de avaliação da fenologia de plantas, sua interpretação e representação. Revista Brasileira de Botânica, v. 25, n. 3, p. 269-275, 2002.

BOTELHO, S. A.; DAVIDE, A. C. Métodos silviculturais para recuperação de nascentes e recomposição de matas ciliares. In: SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE RECUPERAÇÃO DE

ÁREAS DEGRADADAS, 5., 2002, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2002. p. 123-145.

BRAGA, A. J. T.; BORGES, E. E. L.; MARTINS, S. V. Seed rain in successional stages of semideciduous seasonal forest in Viçosa, MG. Revista Árvore, v. 39, n. 3, p. 475-485, 2015.

CALDEIRA, M. V. W.; SCHUMACHER, M. V.; VIEIRA, M.; GONÇALVES, E. O.; GODINHO, T. O. Ciclagem de nutrientes, via deposição e acúmulo de serapilheira,

em ecossistemas florestais. In: CHICHORRO, J.F.; GARCIA, G.O.; BAUER, M.O.; CALDEIRA, M.V.W. (Eds.). Tópicos em ciências florestais. Visconde do Rio Branco: Suprema, 2010. p.57-82.

CAMPOS, A. M.; FREITAS, J. D. L.; SANTOS, E. S. D.; SILVA, R. B. L. Fenologia reprodutiva de Bertholletia excelsa Bonpl. em floresta de terra firme em Mazagão, Amapá. Biota Amazônia, v. 3, n. 1, p. 1-8, 2013.

CAMPOS, É. P. Fenologia e chuva de sementes em floresta estacional semidecidual no município de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. 2007. 50f. Tese (Doutorado em Botânica) – Universidade federal de Viçosa, Viçosa, 2007.

CAMPOS, É. P.; VIEIRA, M. F.; SILVA, A. F.; MARTINS, S. V.; CARMO, F. M. S.; MOURA, V. M.; RIBEIRO, A. S. S. Chuva de sementes em floresta estacional semidecidual em Viçosa, MG, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 23, n. 2, p. 451-458, 2009.

CHAZDON, R. L.; LETCHER, S. G.; van BREUGEL, M.; MARTÍNEZ-RAMOS, M.; BONGERS, F.; FINEGAN, B. Rates of change in tree communities of secondary Neotropical forests following major disturbances. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, v. 362, n. 1478, p. 273-289, 2007.

CLARK, C. J.; POULSEN, J. R.; PARKER, V. T. The Role of Arboreal Seed Dispersal Groups on the Seed Rain of a Lowland Tropical Forest1. Biotropica, v. 33, n. 4, p. 606-620, 2001.

CONCEIÇÃO, A. A.; FUNCH, L. S.; PIRANI, J. R. Reproductive phenology, pollination and seed dispersal syndromes on sandstone outcrop vegetation in the" Chapada Diamantina", northeastern Brazil: population and community analyses. Revista Brasileira de Botânica, v. 30, n. 3, p. 475-485, 2007.

COSTA, R. C.; ARAÚJO, F. S. Densidade, germinação e flora do banco de sementes no solo, no final da estação seca, em uma área de caatinga, Quixadá, CE 1. Acta Botanica Brasilica, v. 17, n. 2, p. 259-264, 2003.

DEAN, W. A ferro e fogo - A história e a devastação da Mata Atlântica Brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. 484p.

DREZNER, T. D.; FALL, P. L.; STROMBERG, J. C. Plant distribution and dispersal mechanisms at the Hassayampa River Preserve, Arizona, USA. Global Ecology and Biogeography, v. 10, n. 2, p. 205-217, 2001.

FREITAS, G. K.; PIVELLO, V. R. A ameaça das gramíneas exóticas à biodiversidade. In: PIVELLO, V. R.; VARANDA, E. M. (org.). O cerrado Pé-de-Gigante: ecologia e conservação – Parque Estadual de Vassununga. 21.ed. São Paulo: Secretaria de Meio Ambiente, 2005. p. 240-270.

FREITAS, J. D. L.; SILVA, R. B. L.; BARBOSA FILHO, M. N.; CANTUÁRIA, P. D. C.; CRUZ JÚNIOR, F. D. O. Fenologia reprodutiva de cinco espécies arbóreas em ecossistema de terra firme na Amazônia Brasileira. Biota Amazônia, v. 5, n. 2, p. 38-44, 2015.

FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA. Relatório Anual 2014. São Paulo, 2014. Disponível em: https://www.sosma.org.br/link/relatorio_anual_sosma_2014/index.html Acesso em 11 out. 2015.

GANDOLFI, S.; MARTINS, S. V.; RODRIGUES, R. R. Forest restoration. In: RODRIGUES, R. R.; MARTINS, S. V.; GANDOLFI, S. (Org.) High diversity forest restoration in degraded areas: methods and projects in Brazil. 1.ed. New York: Nova Science Publishers, 2006. p. 3-26.

GODINHO, T. D. O.; CALDEIRA, M. V. W.; CALIMAN, J. P.; PREZOTTI, L. C.; WATZLAWICK, L. F.; AZEVEDO, H. C. A. D.; ROCHA, J. H. T. Biomassa, macronutrientes e carbono Orgânico na serapilheira depositada em trecho de floresta estacional Semidecidual Submontana, ES. Scientia Forestalis, v. 41, n. 97, p. 131-144, 2013.

GONÇALVES, F. B. Chuva de sementes em remanescente de Caatinga no município de Porto da Folha, Sergipe–Brasil. 2012. 73f. Dissertação (Mestrado Ecologia e Conservação) – Núcleo de pós-graduação em Ecologia e Conservação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2012.

HOWE, H. F.; SMALLWOOD, J. Ecology of Seed Dispersal. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 13, n. 1, p. 201-228, 1982.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual técnico da vegetação brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Mapa de Biomas do Brasil: 1ª aproximação. 1. ed. Brasília: IBGE, 2004.

JANZEN, D. H. Ecologia vegetal nos trópicos. São Paulo: EPU/EDUSP, 1980. 79p.

JUSTINIANO, M. J.; FREDERICKSEN, T. S. Phenology of tree species in Bolivian dry forests. Biotropica, v. 32, n. 2, p. 276-281, 2000.

KREBS, C. J. Ecology: the experimental analysis of distribution and abundance. San Francisco: Pearson Benjamin Cummings, 2009. 655p.

LAGOS, M. C. C.; MARIMON, B. S. Chuva de sementes em uma floresta de galeria no Parque do Bacaba, em Nova Xavantina, Mato Grosso, Brasil. Revista Árvore, v. 36, n. 2, p. 311-320, 2012.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: RiMa, 2000. 531p.

LIUTH, H. S.; TALORA, D. C.; AMORIM, A. M. Phenological synchrony and seasonality of understory Rubiaceae in the Atlantic Forest, Bahia, Brazil. Acta Botanica Brasilica, v. 27, n. 1, p. 195-204, 2013.

LOISELLE, B. A.; RIBBENS, E.; VARGAS, O. Spatial and temporal variation of seed rain in a tropical lowland wet forest. Biotropica, v. 28, n. 1, p. 82-95, 1996.

MARQUES, M. C. M.; ROPER, J. J.; SALVALAGGIO, A. P. B. Phenological patterns among plant life-forms in a subtropical forest in southern Brazil. Plant Ecology, v. 173, n. 2, p. 203-213, 2004.

MORELLATO, L. P. C.; CAMARGO, M. G. G.; NEVES, F. F. D.; LUIZE, B. G.; MANTOVANI, A.; HUDSON, I. L. The influence of sampling method, sample size, and frequency of observations on plant phenological patterns and interpretation in tropical forest trees. In: HUDSON, I.L.; KEATLEY, M. (Org.). Phenological research: methods for environmental and climate change analysis. 1. ed. Springer: Dordrecht, 2010. p. 99-121.

MORELLATO, L. P. C.; LEITÃO-FILHO, H. L. F. Padrões de frutificação e dispersão na Serra do Japi. In: MORELLATO, L. P. C. (ed.). História natural da Serra do Japi -

ecologia e preservacão de uma área florestal no Sudeste do Brasil. 1.ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1992. p. 112-141.

MORELLATO, L. P. C.; RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F.; JOLY, C. A. Estratégias fenológicas de espécies arbóreas em floresta de altitude na Serra do Japi,

Jundiaí, São Paulo. Revista Brasileira de Biologia, v. 50, n. 1, p. 149-162, 1990.

MORELLATO, L. P. C.; TALORA, D. C.; TAKAHASI, A.; BENCKE, C. C.; ROMERA, E. C.; ZIPPARRO, V. B. Phenology of Atlantic Rain Forest Trees: A Comparative Study1. Biotropica, v. 32, n. 4b, p. 811-823, 2000.

MOURA, L. C.; MARQUES, A. F. S. M.; HADAD, R. M.; ANDRADE, H.; ALVES, H. M. R. A aptidão agrícola das terras do município de Machado / MG e a cafeicultura. Caderno de Geografia, v.17, n. 28, p. 141-162. 2007.

NEWSTROM, L. E.; FRANKIE, G. W.; BAKER, H. G. A new classification for plant phenology based on flowering patterns in lowland tropical rain forest trees at La Selva, Costa Rica. Biotropica, v. 26, n. 2, p. 141-159, 1994.

PENHALBER, E. F.; MANTOVANI, W. Floração e chuva de sementes em mata secundária em São Paulo, SP. Brazilian Journal of Botany, v. 20, n. 2, p. 205-220, 1997.

PEREIRA, M. R. N.; TONINI, H. Fenologia da andiroba (Carapa guianensis, Aubl., Meliaceae) no sul do estado de Roraima. Ciência Florestal, v. 22, n. 1, p. 47-58, 2012.

PERINA, B. B. Fenologia de espécies arbóreas de uma floresta estacional semidecidual do sul do Brasil. 2009. 21f. Dissertação (Mestrado em Ciências biológicas) – Departamento de biologia animal e vegetal, Universidade estadual de Londrina, Londrina, 2009.

PIETRO-SOUZA, W.; SILVA, N. M.; CAMPOS, É. P. Chuva de sementes em remanescentes florestais de Campo Verde, MT. Revista Árvore, v. 38, n. 4, p. 689-698, 2014.

PIÑA-RODRIGUES, F. C. M.; AOKI, J. Seed rain as indicator of forest fragment conservation in Sorocaba, São Paulo State. Ciência Florestal, v. 24, n. 4, p. 911-923, 2014.

PINTO, A. M.; RIBEIRO, R. J.; ALENCAR, J. D. C.; BARBOSA, A. P. Fenologia de Simarouba amara Aubl. na reserva florestal Adolpho Ducke, Manaus, AM. Acta Amazonica, v.35, n.3, p.347-352, 2005.

PINTO, S.I.C.; MARTINS, S.V.; BARROS, N.F.; DIAS, H.C.T. Produção de serapilheira em dois estádios sucessionais de Floresta Estacional Semidecidual na Reserva Mata do Paraíso em Viçosa, MG. Revista Árvore, Viçosa, v.32, n.3, p.545-556, 2008.

RATHCKE, B.; LACEY, E. P. Phenological patterns of terrestrial plants. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 16, n. 1, p. 179-214, 1985.

REIS, M. S.; FANTINI, A. C.; NODARI, R. O.; GUERRA, M. P.; REIS, A. Sustainable Yield Management of Euterpe edulis Martius (Palmae) A Tropical Palm Tree from the Atlantic Tropical Forest-Brazil. Journal of Sustainable Forestry, v. 11, n. 3, p. 1-17, 2000.

RIVERA, G.; BORCHERT, R. Induction of flowering in tropical trees by a 30-min reduction in photoperiod: evidence from field observations and herbarium specimens. Tree Physiology, v. 21, n. 4, p. 201-212, 2001.

ROTH, I. Stratification of a tropical forest as seen in dispersal types. Dordrecht: Springer Science & Business Media, 1987. 324p.

SÁ, D.; LOPES, S. F.; PRADO JÚNIOR, A.; SCHIAVINI, I.; VALE, V. S.; OLIVEIRA, A. P.; DIAS-NETO, O. C.; GUSSON, A. E. Estrutura e grupos ecológicos de um fragmento de floresta estacional semidecidual no Triângulo Mineiro, Brasil. Caminhos de Geografia, v. 13, n. 44, p. 89-101, 2012.

SANTOS, A. P. B.; SANTOS, A.; WALKER, A.; BISPO, L. D. P.; KIILL, L. Fenologia reprodutiva de Neoglaziovia variegata (Arruda) Mez (Bromeliaceae) em área de Caatinga no Município de Petrolina, PE. In: Embrapa Semiárido-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 7., JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACEPE/UNIVASF, 1., 2012, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2012.

SANTOS, M. M. G. D.; OLIVEIRA, J. M. D.; MULLER, S. C.; PILLAR, V. D. P. Chuva de sementes de espécies lenhosas florestais em mosaicos de floresta com Araucária e campos no Sul do Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 25, n. 1, p. 160-167, 2011.

SARTORI, M. S.; POGGIANI, F.; ENGEL, V. L. Regeneração da vegetação arbórea nativa no sub-bosque de um povoamento de Eucalyptus saligna Smith. localizado no Estado de São Paulo. Scientia Forestalis/Forest Sciences, n. 62, p. 86-103, 2002.

SILVA, C. R. B.; SILVA, F. F.; FERREIRA, E. B.; MARCELO, P. O. L. O. Chuva de sementes em fragmento de floresta atlântica semidecídua. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 12, n. 1, p. 621-635, 2014.

SILVA, M. C. N. A.; RODAL, M. J. N. Padrões das síndromes de dispersão de plantas em áreas com diferentes graus de pluviosidade, PE, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 23, n. 4, p. 1040-1047, 2009.

TALORA, D. C.; MORELLATO, P. C. Fenologia de espécies arbóreas em floresta de

planície litorânea do sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, v.23, n.1, p.13-26, 2000.

TANNUS, J. L. S.; ASSIS, M. A.; MORELLATO, L. P. C. Fenologia reprodutiva em campo sujo e campo úmido numa área de cerrado no sudeste do Brasil, Itirapina-SP. Biota Neotropica, v. 6, n. 3, p. 1-27, 2006.

URURAHY, J. C. C.; COLLARES, J. E. R.; SANTOS, M. M.; BARRETO, R. A. A. Folhas SF. 23/24 Rio de Janeiro/Vitória; geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Projeto RADAMBRASIL, as regiões fitoecológicas, sua natureza e seus recursos econômicos. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1983. 775p.

van der PIJL, L. Principles of Dispersal in Higher Plants. Nijmegen: Springer-Verlag Berlin Heidelberg, 1982. 218p.

VIEIRA, D. C. M.; GANDOLFI, S. Chuva de sementes e regeneração natural sob três espécies arbóreas em uma floresta em processo de restauração. Revista Brasileira de Botânica, v. 29, n. 4, p. 541-554, 2006.

WILLIAMS, R. J.; MYERS, B. A.; EAMUS, D.; DUFF, G. A. Reproductive Phenology of Woody Species in a North Australian Tropical Savanna1. Biotropica, v. 31, n. 4, p. 626-636, 1999.

WILLIAMS-LINERA, G.; MEAVE, J. Patrones fenológicos. In: GUARIGUATA, M. R.; KATTAN, G. H. (Org.). Ecología y conservación de Bosques Neotropicales. 1. ed. Cartago: Libro Universitario, 2002. p. 407-431.

WUNDERLE JR, J. M. The role of animal seed dispersal in accelerating native forest regeneration on degraded tropical lands. Forest Ecology and Management, v. 99, n. 1-2, p. 223-235, 1997.

YAMAMOTO, L. F.; KINOSHITA, L. S.; MARTINS, F. R. Síndromes de polinização e de dispersão em fragmentos da Floresta Estacional Semidecídua Montana, SP, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 21, n. 3, p. 553-573, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v11n120191245

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Danilo Oliveira de Castro Lima, Walnir Gomes Ferreira Júnior, Wander Duarte Cruz Júnior

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.