Evolution of land use and vegetation cover in the pioneering subwatershed "Conservador das Águas" project (2006-2018)

Tatiana Cardoso da Cruz, Luciana Della Coletta, Camila Souza dos Anjos Lacerda, Wilson Messias dos Santos Junior

Resumo


In this study, we evaluated the spatial-temporal changes in three subwatersheds essential for the hydrodynamics of Jaguari River (Ribeirão das Posses, Forjos and Saltos) after the implementation of the “Conservador das Águas” project in the municipality of Extrema (MG). We used satellite images from TM-Landsat-5 from year 2006 and OLI-Landsat-8 from year 2018 to map land use and vegetation cover, and the SPRING software to classify images in Geographic Information Systems (GIS) and quantify the occurrence of the classes analyzed in 2006 and 2018. After these analyses, we observed 19,77% increase in vegetation cover in the three subwatersheds. Surprisingly, we also detected a similar result in adjacent subwatersheds where the project was not implemented. Thus, this study suggests a positive effect of the “Conservador das Águas” project to the maintenance of biodiversity and hydric system functioning of that region, resulting in increased environmental quality standards and effectiveness of the environmental services for the community and its properties.


Palavras-chave


Space-time analysis. Supervised classification. Bhattacharya.

Texto completo:

English pdf Português pdf

Referências


AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ. Relatório de gestão das Bacias PCJ - 2013. Disponível em: Acesso em: 15 abr. 2019.

ALTMANN, A. L.; ECKHARDT, R. R.; REMPEL, C. Evolução temporal do uso e cobertura da Terra – estudo de caso no município de Teutônia – RS – Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, v. 61, 273-283 p. 2009.

BALBINOT, R.; OLIVEIRA, N. K.; VANZETTO, S. C.; PEDROSO, K.; VALERIO, A. F. O papel da floresta no ciclo hidrológico em bacias hidrográficas. Revista Ambiência. Guarapuava, PR, v.4, n.1, p. 131-149, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

BUENO, E. Capitães do Brasil: A Saga dos Primeiros Colonizadores. Coleção Terra Brasilis, 3 ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006.

CAMPOS, J. M.; NEVES, S. M. A. S. Cobertura vegetal e uso da terra na bacia hidrográfica do rio Paraguai/Jauquara-MT. In: JORNADA CIENTÍFICA DA UNEMAT, 2., 2009, Barra do Bugres, MT. Anais.... Barra do Bugres, 2009. 1 p.

DEAN, W. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. 1 ed. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

DUDLEY, N.; STOLTON, S. Running Pure: The Importance of Forest Protected Areas to Drinking Water. World Bank/WWF Alliance for Forest Conservation and Sustainable Use. Gland, Switzerland: WWF International, 2003. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Cidades: Extrema - MG. 2018. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2018.

INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS – IBAMA. Pagamentos por Serviços Ambientais na Mata Atlântica: lições aprendidas e desafios / Fátima Becker Guedes e Susan Edda Seehusen; Organizadoras. – Brasília: MMA, 2011. 272p.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlag Justus Perthes. 1928.

LILLESAND, T. M.; KIEFER, R. W. Remote sensing and image interpretation. 3ª ed. New York: John Willey & Sons, 1994.

LIMA, C. E. S.; GOMES, D. D. M.; GOLDFARB, M. Detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do Rio Inhaúma–PE/AL, por meio de técnicas de Geoprocessamento e dados de Sensoriamento Remoto. Revista de Geociências do Nordeste, Caicó, RN, v. 2, [S.I.], 2016.

MATTEI, L; ROSSO, S. Evolução do mercado de pagamento por serviços ecossistêmicos no Brasil: evidências a partir do setor hídrico. In: IPEA. Boletim Regional, Urbano e Ambiental, Brasília, 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. 2018.

OMURA, P. A. C.; CAMPOS, D. R.; DIEDERICHSEN, A. T. B.; MENEZES, J. P. A.; CAVICHIA, A.; PADOVEZI, A. Conhecendo as águas e a saúde do rio Jaguari – Uma proposta de trabalho pedagógico abordando a conservação e qualidade dos recursos hídricos. II Simpósio – Experiências em Gestão dos Recursos Hídricos por Bacia Hidrográfica. 2010.

PAGIOLA, S.; VON GLEHN, H. C.; TAFFARELLO, D. Experiências de pagamentos por serviços ambientais no Brasil. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente / Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais, 2013.

PAULA, S. L.; MACIEL, D. A.; TEIXEIRA, V. E.; PAULA, J. C. A.; GONÇALVES, T. G.; ALVES, M. C. Avaliação do “Programa Conservador de Água’’ no município de Extrema/MG, através de técnicas de sensoriamento remoto. In: XIV ENEEAmb, II Fórum Latino e I SBEA – Centro-Oeste. Anais.... Brasília, 2016.

PEREIRA, P. H.; CORTEZ, B. A.; ARANTES, L. G. C.; PEREIRA, K. H.; OMURA, P. A. C.; RODRIGUES, R. R. Conservador das Águas: 12 anos. Edição 2017. Extrema: Departamento de Meio Ambiente, 2017. 187p. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2018.

PEREIRA, P. H.; CORTEZ, B. A.; OMURA, P. A. C.; ARANTES, L. G. C.; Projeto Conservador das Águas. Extrema: Departamento de Meio Ambiente, 2016. 37p. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2018.

RIBEIRO, M. C., METZGER, J. P., MARTENSEN, A. C., PONZONI, F. J.; HIROTA, M. M. The Brazilian Atlantic Forest: How much is left and how is the remaining forest distributed? Implications for conservation. Biological Conservation, v.142, p.1141-1153, 2009.

SANTOS, G.V.; DIAS, H. C. T.; SILVA, A. P. S.; MACEDO, M. N. C. Análise hidrológica e socioambiental da bacia hidrográfica do córrego Romão dos Reis, Viçosa- MG. Revista Árvore. Viçosa, MG, v.31, n. 5, 931-940 p. 2007. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2018.

SILVA, E. B.; FERREIRA, L. G.; ANJOS, A. F.; MIZIARA, F. A expansão da fronteira agrícola e a mudança de uso e cobertura da terra no centro-sul de Goiás, entre 1975 e 2010. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 7, n.2, p. 116-138, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

SOS MATA ATLÂNTICA.; INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS – INPE. Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: Período 2016-2017. São Paulo: SOS, 2018. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

TEIXEIRA, C. G. Pagamento por serviços ambientais de proteção às nascentes como forma de sustentabilidade e preservação ambiental. 2011. 198p. Dissertação (Pós-Graduação). Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

UNITED STATES GEOLOGICAL SERVICE – USGS. Earth Explorer - Collection - Landsat Archive. Disponível em: . Acesso em 21 jul. 2018.

VEIGA NETO, F. C. A. Construção dos mercados de pagamentos por serviços ambientais e suas implicações para o desenvolvimento sustentável no Brasil. 2008. Tese (Doutorado). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2018.

ZOLIN, C. A.; FOLEGATTI, M. V.; MINGOTI, R.; SÁNCHEZ-ROMÁN, R. M.; PAULINO, J.; GONZÁLES, A. M. G. O. Minimização da erosão em função do tamanho e localização das áreas de floresta no contexto do programa "Conservador das Águas". Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 35, n. 6, 2157-2166 p., 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v12n120201433

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Tatiana Cardoso da Cruz, Luciana Della Coletta, Camila Souza dos Anjos Lacerda, Wilson Messias dos Santos Junior

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.