Avaliação dos efeitos alelopáticos de diferentes tipos de solo na germinação de alface

Josimar Rodrigues, Neimar de Freitas, Breno Oliveira, Henrique José G. M. Maluf, Isaac Alves Tonaco, Matheus Silva Luiz

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de três diferentes solos superficiais na germinação
e desenvolvimento de alface. Foi utilizado delineamento experimental inteiramente casualizados (DIC),
com três tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos são: T1 - Solo superficial de eucalyptus
urophylla, T2 - Solo superficial de eucalyptus camaldulensis e T3 – Solo superficial de Latossolo
vermelho de pastagem. Realizou-se a semeadura direta nos recipientes, colocando-se três sementes de
alface Regina (Horticeres Sementes), com 98% de taxa de germinação, tratadas com 0,15% de Captan.
Os recipientes foram colocados em ambiente com luminosidade controlada, utilizando-se sombrete
50%. Após a germinação, as plântulas foram desbastadas deixando somente uma planta central por
recipiente. Aos 24 dias após o plantio, foram mensurados o número de folhas, desconsiderando-se
apenas os pares cotiledonares na contagem. Os tratamentos apresentaram diferenças estatisticamente
significativas entre si, porém a alface apresentou melhor desenvolvimento nos tratamento com
solo superficial de eucalyptus camaldulensis e eucalyptus urophilla, que não apresentaram efeito
alelopático na cultura, porém no tratamento com solo superficial de um Latossolo Vermelho cultivado
com pastagem, a cultura apresentou um desenvolvimento muito inferior quando comparado às médias
dos demais tratamentos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v2n12010250

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.