Distribuição da avifauna em um fragmento de mata nativa em área urbana no município de Lavras, Sul de Minas Gerais

Aloysio Souza de Moura, Bruno Senna Corrêa, Carla Terezinha Serio Abranches

Resumo


Foi realizado um levantamento da diversidade de aves em um fragmento florestal urbano, denominado Ecolândia, no município de Lavras, MG – Brasil. Objetivou-se neste trabalho
avaliar a diversidade de avifauna, delinear algumas estratégias para a conservação de fauna
silvestre e analisar como propriedades da diversidade de aves estão relacionadas aos elementos
da paisagem, em uma escala local. Os métodos utilizados para registro de avifauna envolveram
visualização/vocalização em pontos fixos e redes de neblina, distribuídos no interior e borda do
fragmento. Foram contabilizados 50 dias de trabalho de campo (520 h horas de observação). Foram registradas 122 espécies de aves pertencentes a 38 famílias. No período de inverno (maio a
agosto, 2007) observou-se uma menor ocorrência de aves frugívoras e nectívoras, possivelmente
relacionado à ausência de frutos e flores em decorrência das baixas temperaturas e falta de chuvas. No período de verão observou-se um maior fluxo de aves, possivelmente relacionado ao
oferecimento de frutos, flores, grãos, água e locais para nidificação e abrigo na área de estudo.
Apesar de não haverem sido detectadas espécies ameaçadas de extinção, o número de espécies
e famílias ocorrentes na área foi elevado em relação à localização e ao tamanho do fragmento
florestal. As famílias de aves mais abundantes foram Tyrannidae (23,7%), seguidos por Thraupidae (9,8%) e Emberezidae (7,3%). Em termos de áreas, foram registradas 32,7% de espécies
no ambiente de borda e 46,7% de espécies no ambiente de interior. Em relação à estratificação,
36% das espécies foram detectadas no dossel, 14% no estrato médio (sub-bosque) e 10,6% no
estrato-baixo (arbustos e solo). Para as guildas alimentares, observou-se 47,5% de espécies insetívoras, 13,9% de frugívoros, 13,1% de granívoros, 9,0% de onívoros, 8,1% de carnívoros, 7,3%
de nectarívoros e 0,8% de detritívoros. Os resultados evidenciam a importância de fragmentos
florestais urbanos para o equilíbrio dinâmico da diversidade de aves visando à manutenção da
diversidade biológica da interação fauna-flora.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v2n22010268

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.