Levantamento da biodiversidade florística da arborização urbana em Guaxupé – Minas Gerais

Guilherme Poscidonio Camilo, Marcelo Bregagnoli, Celso Antonio Spaggiari Souza

Resumo


No espaço urbano existem espaços destinados às edificações, à circulação de pessoas e às áreas livres (parques, jardins e quintais). Os dois últimos apresentam potencial capacidade para o desenvolvimento de espécies arbóreas e arbustivas, com benefícios para a melhoria da qualidade de vida no ambiente urbano, tão dotado de estresse do dia-a-dia. O presente trabalho objetivou realizar um levantamento da biodiversidade da arborização urbana de Guaxupé, sul de Minas Gerais. Foram identificadas e classificadas espécies arbóreas e arbustivas nas calçadas, rotatórias, avenidas (canteiro central), praças e jardins públicos. Verificou-se a ocorrência de 60 famílias, 158 gêneros e 227 espécies divididas conforme o hábito de crescimento em: 158 arbóreas, 41 arbustivas, 12 coníferas e 16 palmeiras, além de 3 que não foram identificadas. Quanto à origem, 55,05% dos indivíduos analisados são de espécies exóticas enquanto que 44,95% são de árvores nativas brasileiras. Conclui-se que a biodiversidade de Guaxupé é bastante rica, quando comparada a outras cidades , mas a arborização da cidade, aparentemente, não foi objeto de planejamento (salvo raras exceções em determinadas vias públicas), devendo o poder público adotar medidas como incentivo ao plantio de espécies nativas e estimular programas de educação ambiental, visando aproveitar o potencial de biodiversidade florística da cidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v5n12013431

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.