Fixação de carbono por árvores nativas da floresta estacional semi-decidual plantadas em canavial no sistema de aleias: um estudo de caso

Marco Rogério Gomes da Silva, Luiz Antonio Correia Margarido, Ricardo Coelho S. Coelho, João Paulo Apolari

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar o sistema de aleias, plantio de árvores em linhas associado a uma cultura agrícola, neste caso a canavieira, com três espécies de plantas de características madeireira, adubadeira e fixadora, realizando a ciclagem de nutrientes, diminuindo os efeitos da monocultura, apresentando ganhos ecológicos e ambientais. Essa técnica poderá possibilitar o aumento de renda por hectare através da fixação de carbono durante o crescimento dessas árvores, a venda da produção de madeiras e a sustentabilidade ambiental da cultura canavieira. Os parâmetros físicos utilizados na avaliação foram as medidas mensais dos diâmetros de base e de primeiro galho mais a altura do fuste de cada árvore por meio das quais foi obtido o volume de cada planta e quantificado o carbono fixado através de método não destrutivo. Essas medidas foram tiradas nos primeiros dois anos do experimento. Os resultados demonstraram que o Guapuruvú apresentou uma captura média de 685 g/planta de carbono, representando 1,8 vezes mais que o Cedro (381 g/planta) e 4,75 vezes mais que o Ipê (144 g/planta) no mesmo período. O Guapuruvú apresentou um rendimento superior em relação ao Cedro e Ipê Amarelo em crescimento das árvores e fixação de carbono, sem prejudicar o rendimento de produção de cana-de-açúcar.
Palavras Chaves: Fixação de carbono. Cana-de-açúcar. Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v4n22012451

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.