Avaliações de substratos no enraizamento das estacas de goiabeira em miniestufas de garrafas PET recicladas

Lucas Eduardo de Oliveira Aparecido, Estevan Teodoro Santana Penha, Paulo Sergio de Souza

Resumo


O uso da metodologia de estaquia de ramos herbáceos em goiabeira é um processo já pesquisado há tempos, sendo uma tecnologia utilizada no Brasil para a produção comercial de mudas. O objetivo do trabalho foi testar o efeito do uso de miniestufas de garrafas PET recicladas associado a diferentes substratos para o enraizamento de estacas de goiabeira. O experimento foi realizado no IFSULDEMINAS, campus Muzambinho, e os tratamentos utilizados foram: Plantimax, Areia mais solo, Areia Pura, Palha de Arroz Carbonizada e Fibra de Coco, sendo que a areia mais solo estava em uma proporção de 1:1. O delineamento experimental utilizado foi de blocos inteiramente casualizados (DBC), com cinco tratamentos e cinco repetições, sendo que cada parcela dentro dos blocos foi constituída de três miniestufas, com duas estacas cada, totalizando 150 estacas. O substrato que se destacou nas condições de miniestufas foi o Plantimax, apresentando diferenças significativas em relação aos demais tratamentos. As miniestufas são uma alternativa viável para estaquia de goiaba comparada com câmara de nebulização.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v5n12013456

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.