Biomonitoramento do chumbo, via espectroscopia por energia dispersiva, em plantas medicinais

João Vicente Zampieron, Sonia Lucia Modesto Zampieron, Thamires dos Santos Jacob

Resumo


O presente trabalho procurou pesquisar plantas medicinais como camomila (Matricaria chamomilla L.), calêndula (Calendula officinalis L.) e titônia (Tithonia rotundifolia) quanto à capacidade de absorção e fixação do chumbo em suas partes constituintes, em um ambiente de solo contaminado. Tais plantas foram escolhidas devido à facilidade de manejo e ao seu curto ciclo de vida. Foram preparados canteiros contendo solo constituído por uma mistura de brita, areia e adubo orgânico, a fim de simular as características do solo local. Em seguida, foi realizada a contaminação do solo de forma controlada, nas seguintes proporções de chumbo/solo: 0, 40, 80, 160 e 320 mg/kg. Após as plantas atingirem a sua maturidade, foram colhidas, secas em estufa, separadas por partes (raiz, caule, folhas e flores), moídas em moinho de facas e submetidas a análises via espectrometria por energia dispersiva (EDS), a fim de identificar a presença do chumbo. Pôde-se verificar que a titônia fixou chumbo em suas folhas e apresentou deformidades, comprometendo o desenvolvimento dos capítulos, enquanto que a calêndula fixou o chumbo na raiz e nas folhas, as quais também exibiram deformidades. Quanto à camomila, não se desenvolveu completamente em nenhum dos solos, tendo havido, no entanto, uma absorção significativa de potássio, conforme evidenciado na EDS. Os resultados mostraram que tanto a titônia, quanto a calêndula, apresentaram forte potencial como bioindicadoras de solos contaminados por chumbo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v5n12013461

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.