Efeito de Extratos Aquosos de Azadirachta indica na Sobrevivência de Diatraea saccharalis e do Parasitóide Cotesia flavipes

Fábio Mazzonetto, Renato Zapparoli Corbani, Alexandre Barcellos Dalri

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito de extratos aquosos de Azadirachta indica na sobrevivência de Diatraea saccharalis e do parasitóide Cotesia flavipes. Para a obtenção do extrato vegetal de A. indica, as folhas secas em estufa de circulação forçada de ar (40oC durante 48h), posteriormente trituradas em moinho de facas até obtenção do pó. Os extratos foram obtidos a partir da adição de 0,5; 1,0; 2,0; 3,0 e 5,0g do pó vegetal em 100ml de água destilada formando respectivamente as concentrações. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com seis tratamentos (testemunha, 0,5%, 1%, 2%, 3% e 5% de extrato aquoso de A. indica) e 40 repetições. Para a análise estatística utilizou-se o método de Kaplan-Meier e o teste de Log-Rank na obtenção e comparação das curvas de sobrevivência. Já para a análise dos dados de emergência de adultos do parasitóide C. flavipes foi utilizado o teste de Scott-Knott ao nível de 5% de probabilidade.  As lagartas D. saccharalis apresentaram um menor tempo de sobrevivência quando expostas as dietas artificiais contendo as diferentes concentrações do extrato aquoso de A. indica.  A utilização de extrato aquoso de A. indica afetou negativamente a emergência de adultos de C. flavipes, importante parasitóide de D. saccharalis, quando submetidos ao parasitismo de lagartas tratadas com extrato aquoso de folhas deste vegetal.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v5n22013462

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.