Desenvolvimento inicial de cultivares de videira em Muzambinho-MG

Lucas Eduardo de Oliveira Aparecido, Paulo Sergio de Souza, Gentil Luiz Miguel Filho, Estevan Teodoro Santana Penha

Resumo


Objetivou-se avaliar o desenvolvimento agronômico inicial de cultivares de videira, nas condições da região do sul de Minas Gerais, no Brasil. O experimento foi conduzido no setor de Fruticultura do IFSULDEMINAS – Campus Muzambinho. Os materiais vegetativos utilizados foram mudas nuas, enxertadas sobre o porta-enxerto ‘1103 Paulsen’ pelo método de enxertia de mesa. Os tratamentos foram oito cultivares de videira rústica (Vistis labrusca L.): Isabel (1), Concord (2), Bordô (3), Isabel precoce (4), BRS Cora (5), BRS Rúbea (6), BRS Violeta (7) e Niágara Rosada (8). O delineamento foi em blocos ao acaso, com três repetições e oito tratamentos, e cada parcela composta por cinco plantas, totalizando 120 plantas. Em relação ao diâmetro de enxerto e porta-enxerto, as cultivares não demonstraram diferença significativa em condições iniciais. Para as variáveis altura de plantas e massa verde, a cultivar Niágara Rosada destacou-se dentre as demais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v6n12014481

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.