Características morfológicas e produtividade de cultivares de alho em manejo orgânico na microrregião do Campo das Vertentes – MG

Breno José de Oliveira Terra, Julio Cesar de Araujo, Rovilson José de Souza

Resumo


A importância econômica da cultura do alho tem aumentado consideravelmente nos últimos anos, sendo cultivado na maioria das regiões brasileiras, é uma hortaliça que se destaca não só pelo seu uso como condimento, mas também por suas propriedades terapêuticas. O alho é uma hortaliça que possui uma grande quantidade de clones com diferentes denominações regionais, tal fato faz com que muitos alicultores adquiram materiais para plantio não adaptado as suas regiões e obtenham colheitas com baixa produtividade e baixa conservação pós-colheita. Assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a produtividade de cinco cultivares de alho do grupo semi-nobre em manejo orgânico na micro-região do Campo das Vertentes – MG. O delineamento experimental usado foi blocos ao acaso, com cinco tratamentos e quatro repetições, sendo os tratamentos as cultivares Amarante, Cateto Roxo, Gigante Curitibanos, Gigante do Núcleo e Gigante Roxo. Nas parcelas, cada cultivar foi disposta em cinco linhas espaçadas de 0,2 m, com plantas espaçadas 0,1 m dentro da linha, perfazendo um total de 50 plantas por parcela. As cinco linhas centrais foram utilizadas para as avaliações formando uma área útil da parcela igual a 1,2 m². Avaliou-se a altura das plantas e número de folhas verdes aos 60, 90 e 120 dias, produção total, perda de massa durante e após cura e produção comercial. As cultivares Gigante do Núcleo, Gigante Curitibanos e Gigante Roxo obtiveram melhor desempenho produtivo, apresentando produtividades acima da média estadual e boa classificação comercial de bulbos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v5n32013527

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.