Atividade inseticida do óleo essencial de Hyptis marrubioides no controle de Zabrotes subfasciatus (Coleoptera, Chrysomelidae, Bruchinae)

Marcelo Barboza de Mello, Priscila Pereira Botrel, Isabel Ribeiro do Valle Teixeira, Felipe Campos Figueiredo, José Eduardo Brasil P. Pinto, Suzan Kelly Vilela Bertolucci

Resumo


Sabe-se que uma grande porcentagem da produção e do armazenamento dos grãos de feijão é perdida pelo consumo de insetos. Este trabalho teve como objetivo avaliar a atividade inseticida do óleo essencial de Hyptis marrubioides no controle de Zabrotes subfasciatus. A extração do óleo essencial foi realizada pelo método de hidrodestilação em aparelho de Clevenger, por uma hora e meia e o ensaio biológico foi conduzido no Laboratório de Microscopia/IFSULDEMINAS, Campus Muzambinho. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, constituído de cinco concentrações de óleo essencial (0,0; 6,25%; 12,5%; 25% e 50%), com quatro repetições contendo um casal de Z. subfasciatus por repetição. Realizou-se o teste de mortalidade e inibição de oviposição. Utilizou-se três grãos de feijão tratados com 5 microlitros (μL) de solução e três não tratados, caracterizando assim um teste com chance de escolha. Como controle, utilizou-se 100 μL de álcool 70%. Após a aplicação dos tratamentos, observou-se a reação dos indivíduos de Z. subfasciatus, evidenciando que os Tempos Letais (TL) diminuem conforme há um aumento e contato direto dos insetos com as concentrações do óleo essencial de H. marrubioides. A aplicação do óleo essencial foi bastante efetiva, pois ocorreu mortalidade total dos insetos adultos e nenhuma oviposição. O intervalo de tempo de 28 minutos foi suficiente para provocar mortalidade de todos os indivíduos. Foi possível observar que o óleo essencial de H. marrubioides possui efeito inseticida sobre Z. subfasciatus, podendo auxiliar no manejo integrado de Z. subfasciatus em feijão armazenado.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v6n12014549

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.