Neutralização dos Gases do Efeito Estufa (GEE): estudo de caso de uma microempresa do ramo alimentício

Thiago Cardoso Oliveira, Maria Magnólia C. A. de Oliveira, Antônio Malvestitti Neto, Filippe Carneiro Lopes, Claudiomir Silva Santos, Ariana Vieira Silva, Fabricio Santos Rita

Resumo


A intensificação do uso dos recursos naturais e das atividades antrópicas vem, nas últimas décadas, intensificando a emissão de gases na atmosfera, gerando uma instabilidade climática, ocasionando severas mudanças ambientais. Diariamente a mídia noticia as catástrofes climáticas e as mudanças do clima que estão acontecendo em escala global. Ao longo dos últimos cem anos, a concentração de Gases de Efeito Estufa (GEE) vem aumentando por causa da atividade industrial, agrícola e principalmente por causa da atividade de transporte pelo grande consumo de combustíveis fósseis pelos veículos terrestres. O acúmulo desses gases impede o calor das superfícies terrestre de ser liberado ao espaço, ocasionando aumento na temperatura média da superfície da Terra e mudanças nos padrões climáticos mundiais. Para a realização do inventário dos GEE foram utilizados os princípios metodológicos do Programa Brasileiro GHG Protocol. O GHG Protocol traz toda a metodologia internacionalmente aceita, para formulação do inventário de emissões de GEE, desenvolvido com a parceria entre a World Resources Institute (WRI) e World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), entidades que trabalham com empresas, governos e grupos ambientais, na construção de uma nova geração de programas sólidos e eficazes para combater as mudanças climáticas.  Com o uso da planilha de cálculo, contabilizando as emissões de GEE dos três escopos, encontrou-se uma produção anual de 5.715,613 t de CO2e. Para os cálculos de emissão do escopo 1, a ferramenta utilizou como fator de emissão, de CO2 para CO2e, 2,63 para o óleo diesel; 1.612,86 para gás liquefeito de petróleo; 1,68 para o biodiesel e 1,18 para o etanol. Nos cálculo do escopo 2, a ferramenta utilizou como fator de emissão 0,00002919 t CO2e.kWh-1 produzido e consumido. Para o cálculo de emissão de CO2e no escopo 3, a ferramenta levou em consideração as horas trabalhadas por cada funcionário anualmente multiplicado pelo fator de emissão de 0,003 t de CO2e.pessoa.hora-1, adaptado Lopes et al. (2012), que trabalhou com valores de 0,072 t de CO2e.pessoa.dia-1. Para determinar o número de árvores a serem plantadas é necessário calcular o Ft, fator de fixação, e dividir as emissões totais pelo Ft. O Ft calculado foi de 0,154 t CO2e.árvore.20 anos-1. Será necessário o plantio de 44.538 árvores, 26,72 hectares, para neutralizar o CO2e emitido pela panificadora num período de 01 ano. A metodologia utilizada para elaboração de Inventário de CO2e emitido apresentou-se satisfatória, mesmo quando trabalhada uma microempresa. A metodologia e a ferramenta de cálculo são de fácil acesso e disponibilidade, porém é necessário um estudo minucioso de ambas para sua utilização, porém é um grande mecanismo de mitigação ambiental.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v1n12013577

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.