Macroinvertebrados como bioindicadores da qualidade da água nos pontos de captação para o abastecimento urbano no município de Ouro Fino - MG

Leonardo Ribeiro Góes Silva

Resumo


O trabalho teve por objetivo analisar a qualidade da água nos três pontos de captação para o abastecimento urbano do município de Ouro Fino, Estado de Minas Gerais, Brasil. A captação e o tratamento da água são realizados pelo Órgão Gestor de Saneamento Ambiental Municipal: (DMAAE) Departamento Municipal Autônomo de Água e Esgoto. A fim de mensurar a qualidade da água foi utilizada a análise química, observando alguns parâmetros físico-químicos e biológicos para a pesquisa e a análise dos indivíduos e das famílias de macroinvertebrados bentônicos, assim servindo como bioindicadores. Observando os resultados das análises realizadas em comparação com os resultados do protocolo de avaliação rápida das condições ambientais dos três pontos apresenta que, o primeiro ponto apresentou maior preservação ambiental, melhor qualidade química e física da água e ainda apresenta macroinvertebrados intolerantes à poluição. Conclui-se que a conservação em torno de cursos d’água afeta diretamente a qualidade da água e indiretamente os custos para o tratamento desta, para atender as necessidades do perímetro urbano do município.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v6n32014666

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental


Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.