AVALIAÇÃO DA ÁREA DE DISPOSIÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO MUNICÍPIO DE ARAGUARI UTILIZANDO O ÍNDICE DE QUALIDADE DE ATERROS DE RESÍDUOS - IQR

Luciana Melo Pirete, Bruna Fernanda Faria Oliveira, Maria da Graça Vasconcelos

Resumo


A disposição final dos resíduos sólidos urbanos (RSU) tem se apresentado como um problema que as prefeituras têm dificuldade de equacionar, pois mesmo havendo incentivo à reutilização e reciclagem ainda existirão os remanescentes, conhecidos como rejeitos, que devem ser enviados aos aterros sanitários. Na maioria dos municípios brasileiros, a administração se limita a recolher os resíduos domiciliares, depositando-os em locais afastados, sem maiores cuidados sanitários. A operação inadequada das áreas para deposição dos resíduos sólidos domiciliares, nos municípios, causa impactos ambientais e compromete a saúde pública. Nesse contexto, o presente trabalho teve como objetivo classificar a qualidade do aterro sanitário de Araguari - MG. Para tal, foi realizada a aplicação do Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos - IQR, que avalia os parâmetros referentes às características do local, à infraestrutura implantada e às condições operacionais do aterro, conforme a metodologia estabelecida pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – CETESB. Para isso foram realizadas inspeções locais, análise documental e entrevistas. Constatou-se que o aterro pode se enquadrar em uma classe controlada, apesar da necessidade de ajustes em alguns itens.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v0n02014748

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.