O uso de peixes como bioindicador ambiental em áreas de várzea da bacia amazônica

Carlos Edwar C. Freitas, Flávia K. Siqueira-Souza

Resumo


O uso de bioindicadores pode constituir uma importante ferramenta para monitoramento ambiental, e para ecossistemas aquáticos o uso de espécies de peixes é bastante eficiente,
pois são componentes comuns e de fácil amostragem, bem como podem apresentar diferentes
estilos de vida e habitats durante seu ciclo de vida. Neste artigo utilizamos como critérios para
a seleção das espécies indicadoras, as seguintes características: ser taxonomicamente bem definido e facilmente reconhecível por não-especialistas, apresentar distribuição geográfica ampla,
ser abundante ou de fácil coleta, preferencialmente possuir tamanho médio/grande, apresentar
baixa mobilidade e longo ciclo de vida, dispor de características ecológicas conhecidas e ter
possibilidade de uso em estudos em laboratório. Desta forma, indicamos oito espécies de peixes
típicos das várzeas amazônicas: Pellona castelneana, Potamorhina altamazonica, Prochilodus
nigricans, Mylossoma duriventre, Pygocentrus nattereri, Serrasalmus rhombeus, Triportheus
angulatus e liposarcus pardalis, para uso como bioindicadores em programas de monitoramento
ou de avaliação de alterações ambientais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v1n2200975

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.