Sistema agroflorestal para recomposição de reserva legal em propriedades de agricultores familiares

Vinícius Alves Cândido, Lilian Vilela Andrade Pinto, Paula de Castro Bogarim, Silas Dias da Rosa, Rafael Monti Silva, Joice Magali Nunes Barbosa

Resumo


Os sistemas agroflorestais são preconizados como uma solução alternativa para a recuperação de áreas degradadas. Assim, o presente estudo teve como objetivo implantar e monitorar um protótipo de sistema agroflorestal (SAF) modelo silviagrícola, avaliando o desenvolvimento inicial de três espécies florestais nativas, comparando-o ao modelo de plantio convencional. O modelo estatístico adotado foi o fatorial 2 (tratamentos: plantio convencional de espécies florestais e plantio em sistema agroflorestal) x 3 (espécies: Lonchocarpus muehlbergianus Hassl. - embira-de-sapo, Cytharexyllum myrianthum Cham. - tucaneira, Schinus terebinthifolius Raddi - aroeira-pimenteira) com 3 repetições, seguindo o delineamento inteiramente casualizado. A espécie que obteve maior crescimento, tanto no sistema convencional quanto no silviagrícola, foi a C. myrianthum Cham. A espécie L. muehlbergianus Hassl.  apresentou o menor crescimento em ambos os tratamentos. A espécie S. terebinthifolius Raddi atingiu maior crescimento no sistema convencional. Foram colhidos 2,17 t ha-1 de feijão e 1 t ha-1de banana. Como não foi observada diferença significativa no crescimento da altura e do diâmetro à altura do solo (DAS) das espécies entre o plantio convencional e silviagrícola, o SAF mostra-se como alternativa para a recomposição de reserva legal no sul de Minas Gerais, possibilitando maior aproveitamento da área a ser recuperada, sendo o uso das entrelinhas para produzir culturas anuais uma alternativa viável.

Palavras-chave: Agroecologia. Recursos ambientais. Área degradada.


Palavras-chave


Agroecologia. Recursos ambientais. Área degradada.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v8n22016821

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental


Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.