Variabilidade espacial da biomassa da forragem e taxa de lotação animal em pastagem de capim Marandu

Sabino Pereira da Silva Neto, Antonio Clementino dos Santos, Rafael Nunes Garcia, João Lucas Aires Dias, Áyzik Macedo Silva, Paulo Alexandre Rodrigues Pereira

Resumo


O objetivo deste estudo foi realizar a modelagem variográfica da disponibilidade de matéria seca da Urochloa brizantha cv. Marandu e a simulação da taxa de lotação animal por meio do ajuste dos modelos esférico, exponencial e gaussiano ao semivariograma experimental, bem como a robustez das predições. A biomassa da gramínea foi coletada em 50 pontos em uma área de 36,22 ha. A simulação da taxa de lotação foi realizada com base na disponibilidade de folhas verdes em cada ponto amostrado, consumo diário de matéria seca por cada unidade animal (UA) e o tempo de pastejo. Os dados referentes às variáveis foram submetidos à análise descritiva, estudo geoestatístico e interpolação por krigagem ordinária. A modelagem variográfica da disponibilidade de matéria seca do capim marandu e a taxa de lotação foram caracterizadas pelos modelos esférico, exponencial e gaussiano. Entretanto, apesar da aparente precisão dos ajustes, o modelo esférico apresentou melhor inferência, segundo o critério de informação de Akaike e soma dos erros ao quadrado. Assim, a adoção de modelos com ajustes de critérios somente visuais levam a estimativas da disponibilidade de biomassa de forragem e da taxa de lotação animal que não refletem a realidade da área.

Palavras–chave: Estrutura do pasto. Carga animal. Distribuição espacial. Pecuária de precisão. Produção animal. Semivariograma.


Palavras-chave


Estrutura do pasto. Carga animal. Pecuária de precisão. Produção animal. Semivariograma. Variabilidade espacial.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v8n22016856

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.