Comparação de métodos de estimativa da evapotranspiração de referência no período chuvoso e seco em Piripiri (PI)

Aureliano Albuquerque Ribeiro, Marcelo Simeão, Ananda Rosa Beserra Santos

Resumo


Diversos métodos empíricos vêm sendo utilizados para a quantificação da evapotranspiração de referência em virtude das dificuldades de acesso dos produtores às variáveis empregadas pelo modelo-padrão de Penman-Monteith-FAO. Assim, objetivou-se com a realização deste trabalho avaliar, para as condições climáticas de Piripiri (PI), diferentes métodos de estimativa da evapotranspiração de referência (Hargreaves-Samani, Ivanov, Jensen-Haise, Thornthwaite e Priestley-Taylor), comparando-os com o método-padrão de Penman-Monteith-FAO. Foi utilizado um conjunto de dados diários de dez anos (2002 a 2012) de temperatura do ar, velocidade do vento, umidade relativa do ar e insolação. Os dados foram obtidos na estação meteorológica convencional do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), situada no município de Piripiri. A estimativa da ETo foi feita para o período chuvoso (janeiro a maio) e seco (junho a dezembro). Os resultados mostraram que o uso da equação de Jensen-Haise apresentou o melhor desempenho na estimativa diária da evapotranspiração de referência nas condições climáticas de Piripiri (PI) nas duas escalas de tempo avaliadas (chuvoso e seco).

Palavras-chave: Agricultura. Manejo da Irrigação. Agrometeorologia.


Palavras-chave


agricultura, manejo da irrigação, meteorologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v8n32016862

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.