Pulverização foliar com nitrogênio e zinco em milho (Zea mayz L.) “safrinha” em Confresa (MT)

Raphael Maia Aveiro Cessa, Luan Sousa de Freitas Lima, Elmo Pontes de Melo

Resumo


Objetivou-se avaliar a produtividade de milho (Zea mayz L.) “safrinha” no município de Confresa (MT) em função da pulverização foliar com nitrogênio e zinco. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados dispostos em esquema fatorial 4 x 4 em 4 repetições, totalizando 64 parcelas. Os tratamentos estatísticos foram 4 doses de nitrogênio (0,00; 0,25; 0,50; 0,75 kg ha-1) e 4 doses de zinco (0,00; 0,40; 0,60; 0,80 kg ha-1). As características do milho avaliadas foram matérias frescas e secas das partes aérea (MFPA e MSPA) e raiz (MFR e MFPA), teor foliar de zinco (ZnFOL) e nitrogênio (NFOL), índice de coloração verde foliar (ICV) e produtividade de grãos (PRODU) de milho. Os dados obtidos das características avaliadas foram submetidos à análise de variância (ANAVA) da regressão experimento. Das características com valor de F da ANAVA significativo a 5 % de probabilidade foram obtidos os modelos de regressão linear múltipla. Foi observado elevação dos valores de ZnFOL e NFOL, o que influenciou a elevação dos valores de ICV. Tais características também influenciaram os valores de MFR e MSR, sendo os maiores observados nos teores de ZnFOL e NFOL dentro das suas faixas de suficiências. Não houve relação direta entre o melhor desenvolvimento da planta de milho e produtividade de grãos com os teores de ZnFOL. O valor de NFOL observado na maior produtividade de grãos de milho corroborou a literatura citada.

Palavras-chave: Tecido vegetal. Sinergia. Doses.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v9n12017869

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental


Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.