Vazões de referência do Rio São Miguel em Arcos (MG)

Marina Soares Rossi, Michael Silveira Thebaldi

Resumo


O estudo do comportamento da vazão de um curso d’água é de suma importância para se prever épocas de secas e cheias, implementar planos de gestão dos recursos hídricos, incluindo a outorga, além de dar subsídios ao dimensionamento de obras hidráulicas. Portanto, o presente trabalho executou um estudo estatístico das vazões médias mínimas de sete dias consecutivos anuais (Q7) e da curva de permanência de vazões do Rio São Miguel, em Arcos (MG). A série histórica de vazão foi obtida no banco de dados Hidroweb, gerido pela Agência Nacional das Águas. Os dados avaliados contemplaram os anos civis entre 1968 e 2014, com exceção dos anos de 1991, 1992, 2009 e 2012, devido aos dados de vazões desses anos estarem incompletos. Foram ajustadas as Funções Cumulativas de Probabilidade modelos log-Normal 2 parâmetros, log-Normal 3 parâmetros, Gumbel para mínimos, Weibull e Gama para Q7; a aderência dessas funções aos dados observados foi testada usando os testes de Kolmogorov-Smirnov e Qui-Quadrado. Pelos testes de Kolmogorov-Smirnov e Qui-Quadrado, o modelo Log-Normal a 2 parâmetros foi o que melhor aderiu à série de Q7. O valor obtido de Q7,10 foi de 0,131014 m³ s-1, enquanto que os valores de Q50, Q90 e Q95, estimados a partir da curva de permanência, foram 1,4207 m³ s-1, 0,4853 m³ s-1 e 0,35885 m³ s-1.

Palavras-chave: Gestão de recursos hídricos. Outorga pelo uso da água. Distribuições Estatísticas.


Palavras-chave


Gestão de recursos hídricos; Outorga pelo uso da água; Distribuições Estatísticas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v9n12017927

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.