Hábitos e perspectivas do consumo de café entre as classes sociais “A” e “B” da cidade de Machado/MG

Cleber Ávila Barbosa, José Messias Miranda, Leandro Carlos Paiva

Resumo


Com a globalização, a segmentação de mercado ganhou muita importância e trouxe consigo a
produção de produtos e serviços na medida e em conformidade com as particularidades e expectativas
de cada um dos diferentes públicos. Produtos iguais não conseguem mais atender, em sua plenitude,
todos os públicos pois esses possuem demandas e necessidades diferentes. O objetivo desse trabalho
foi diagnosticar os hábitos e preferências do consumo de café entre as classes sociais “A” e “B” da
cidade de Machado-MG, verificando se há predisposição desses em comprar um café diferencia. Para
tal foi realizado uma pesquisa descritiva, nos principais supermercados de Machado/MG, onde se
realizou uma entrevista, para determinar as particularidades desse publico alvo e posteriormente um
teste cego com 3 marcas comerciais (apontadas como mais vendidas pelos supermercadistas) e uma
de um café especial, preparados no Instituto Federal Sul de Minas. Os resultados demonstraram que
os consumidores das classes A e B conseguiram diagnosticar, em sua maioria, o café especial e que
comprariam tal por um preço acima dos praticados pelo mercado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v2n12010257

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.