Diagnóstico e recuperação de áreas de pastagens degradadas

Thiago Cardoso Oliveira, Daniel Nogueira Pereira, Thales Eugênio de Brito, Jorge Augusto Figueiredo Agostini, Paulo Felipe Lima, Ariana Vieira Silva, Claudiomir Silva Santos, Marcelo Bregagnoli

Resumo


As pastagens brasileiras, em sua maioria, vêm sendo exploradas ao longo dos anos dentro de um sistema extrativista, utilizando-se da fertilidade natural dos solos para implantação de forrageiras e, à medida que esta fertilidade vai diminuindo, o potencial produtivo da forrageira instalada é dirimido, provocando uma queda na capacidade de suporte de animais nessas áreas.  Devido a esta diminuição da fertilidade do solo e do potencial das forrageiras, muitas vezes abandona-se as áreas utilizadas e abrem-se novas áreas para a implantação de novos pastos. Cordeiro (2004) aponta que este uso inadequado e intensivo de áreas exploradas pelas atividades antrópicas, tem proporcionado um declínio demasiado da fertilidade natural dos solos. O trabalho foi realizado na Fazenda Mandasaia, município de Alterosa, MG, Coordenada Geográfica UTM: 23 k 393574,764 E. x 7647413,000 N. A propriedade localizada ocupa uma área de 60 ha, toda explorada como área de pastagem (Brachiaria decumbens L.). Segundo Stoddart, Smith e Box (1975) alguns estágios da degradação são característicos para a maioria das pastagens e podem ser facilmente identificados: (1) Distúrbios fisiológicos da espécie dominante; (2) Mudanças na composição botânica e (3) Invasão por novas espécies. Para determinação do estado de degradação da pastagem e para tomada de decisão quanto ao procedimento de recuperação ou reforma de pastagens degradadas, utilizou-se de metodologia descrita por Oliveira e Corsi (2005) (Figura 2), onde se estuda a área de solo exposta e a partir desta informação define-se a melhor opção para o diagnóstico encontrado. A área de pastagem estuda encontra-se em um alto grau de degradação, sendo necessária uma rápida intervenção para controle dos processos erosivos (laminar e a voçoroca). Além do controle físico do processo erosivo, outras técnicas deverão ser aplicadas para conter o processo de degradação da pastagem, tais como, o controle de plantas daninhas, o manejo da pastagem e a reconstrução da fertilidade do solo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v1n12013578

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.