Composição e estrutura da comunidade de peixes de um afluente do rio Tietê, bacia do Alto rio Paraná.

Jane Piton Serra, Fabio de Faria e Souza Campos, André Luis da Silva Castro

Resumo


A América do Sul contém a mais rica e variada ictiofauna de água doce do mundo, porém, muito dessa diversidade ainda é desconhecida, tanto na sua composição, quanto em aspectos ecológicos, biológicos e taxonômicos. Essa riqueza, entretanto tem sido afetada pelas alterações antrópicas dos ambientes naturais. Assim, o objetivo do presente trabalho foi determinar a composição e estrutura da ictiofauna do ribeirão Borá, afluente do rio Cubatão, drenagem do rio Tietê, bacia do alto rio Paraná. O local estudado foi um trecho de quinta ordem e aproximadamente 80 m de extensão do ribeirão, localizado no município de Nova Aliança, São Paulo. O ribeirão Borá apresenta características de ambiente antropizado, como pouca vegetação marginal e pontos poucos profundos com sedimento predominantemente arenoso. Foram realizadas 10 coletadas diurnas entre Novembro de 2002 e Março de 2004. O tempo de coleta e os equipamentos utilizados foram padronizados. Foram coletadas 41 espécies de peixes, pertencentes a 15 famílias e cinco ordens, totalizando 1.459 exemplares. A ordem Characiformes apresentou maior riqueza, seguida por Siluriformes. A família Characidae foi a mais rica, seguida por Loricariidae e Cichlidae. Os maiores valores para riqueza e abundância foram encontrados na estação chuvosa. Os resultados obtidos neste trabalho constituem uma forma importante de conhecimento da ictiofauna e reforçam a importância de estudos sobre a composição e estrutura das comunidades de peixes, tanto em ambientes ainda não modificados, quanto naqueles com intenso processo de degradação, como subsídio para conservação e recuperação dos ambientes aquáticos.


Palavras-chave


Ictiofauna, Riqueza de espécies, Conservação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v7n12015678

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.