Avaliação da produtividade de milho e controle de doenças foliares

Laís Teles de Souza, José Luiz de Andrade Resende Pereira, Tamires Teles de Souza

Resumo


Atualmente existem dezenas de doenças foliares que têm causado perdas significativas na cultura do milho. Entre elas, destacam-se a cercosporiose e a mancha branca. O presente trabalho teve, pois, como objetivo avaliar o efeito da aplicação de um fungicida, que possui como princípio ativo o mancozebe, na produtividade de híbridos de milho, e verificar a sua eficiência no controle das doenças foliares cercosporiose e mancha branca. O experimento foi conduzido no ano agrícola de 2011/2012, na fazenda experimental do IFSULDEMINAS - Câmpus Inconfidentes. Para a realização do trabalho foram utilizados híbridos selecionados de acordo com os níveis de resistência às doenças. O delineamento foi feito em blocos casualizados, com três repetições em esquema fatorial, no qual foram avaliados 8 (híbridos) x 3 aplicações do fungicida. Foram realizadas sete avaliações visuais da severidade das doenças a partir dos 90 dias após a emergência, por meio de escala de notas variando de 1 (altamente resistente) a 9 (altamente suscetível). Os grãos foram colhidos para a obtenção da produtividade dos híbridos, e a umidade foi ajustada para 13%. A aplicação do fungicida foi eficiente no controle das doenças mancha branca e cercosporiose, no entanto, não aumentou a produtividade de grãos dos híbridos utilizados neste experimento. A aplicação do fungicida no estádio V6 e no pré-pendoamento das plantas de milho foi mais eficiente.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v7n32015700

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.