Avaliação da eficiência do extrato aquoso de mandioca sobre Meloidogyne incognita in vitro

Fábio Mazzonetto, Vera Lúcia Monelli Sossai, Raphael Benessatto, Valéria Peruca de Melo, Luiz Carlos Pizetta

Resumo


Com o objetivo de avaliação o efeito do extrato aquoso de mandioca sobre a eclosão e inativação de juvenis de meloidogyne incognita in vitro, foi conduzido um experimento no Laboratório de Fitotecnia da Universidade Camilo Castelo Branco, a uma temperatura de 25+-2C, umidade relativa de 70+-10%. Na obtenção do extrato aquoso foram utilizados aproximadamente 5 kg de mandioca que foi descascada, lavada, picada e levada a um liquidificador industrial para trituração, sendo em seguida coada em um béquer e levado à geladeira por 24 horas. O delinamento experimental utilizado foi inteiramente ao acaso (DIC), com 5 repetições e 7 concentrações do extrato aquoso de mandioca (0%, 5%, 10%, 15%, 20%, 25% e 30%). Os ovos em solução do extrato foram incubados a 26 C em uma estufa durante 16 dias, obtendo-se os dados de eclosão que foram expressos em porcentagem e transformados em log (x+1). Nas condições em que este experimento foi conduzido, e com base nas análises efetuadas, pode-se concluir que o extrato de mandioca nas concentrações acima de 10% proporcionaram uma eclosão nula de juvenis, constatando uma eficácia de 100% deste produto ao nematoide, sendo uma alternativa eficaz no controle de fitonematoides do gênero Meloidogyne.

Palavras-chave


Fitonematoides; Extratos vegetais; Meloidogyne sp.; Manihot esculenta

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v7n42015721

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.