Avaliação da fertilidade do solo por Agricultura de Precisão e Convencional

Saulo Saturnino Sousa, Silvino Guimarães Moreira, Gustavo Franco de Castro

Resumo


O estudo de caso foi feito com o objetivo de comparar as metodologias de amostragem de solo por agricultura de precisão (AP) e agricultura convencional (AC) para avaliação da fertilidade de solos. Amostras de solo foram obtidas por AC e AP em dez áreas cultivadas com milho e soja, de forma rotacionada, em uma propriedade localizada em Inhaúma, região central do estado de Minas Gerais. As amostras foram analisadas e interpretadas com recomendação de corretivos e fertilizantes para cada uma das glebas. Comparando-se os dados médios de fertilidade entre os dois métodos de amostragem, observaram-se poucas diferenças para a maioria dos nutrientes, com exceção do P. Os resultados evidenciaram que os solos apresentam alta fertilidade, independentemente do método de análise. Os mapas de fertilidade mostraram que há diferenças de fertilidade nas glebas, com necessidade de corretivos em alguns pontos. Embora seja difundido na prática que em solos de alta fertilidade não existam benefícios em se adotar a AP, por causa do custo de amostragem, o mapeamento da fertilidade pela AP permite mais segurança na interpretação e recomendação de corretivos e fertilizantes.


Palavras-chave


variabilidade espacial, geoestatística, amostragem de solo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v8n12016756

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.