Avaliação de diferentes substratos orgânicos para mudas de Enterolobium contortisiliquum em uma área desertificada

Verônica Carvalho de Castro, Milton Marques Fernandes, Márcia Rodrigues de Moura Fernandes, Rafaela Simão Abrahão Nóbrega

Resumo


Este trabalho objetivou avaliar o desempenho de mudas de Enterolobium contortisiliquum produzidas com diferentes substratos em uma área desertificada no sul do Piauí. Para tanto, foram plantadas 75 mudas de Enterolobium contortisiliquum, utilizando espaçamento de 2 x 2 m e covas com dimensões de 40 x 40 cm, em uma área degradada por mineração em processo de desertificação há pelo menos 80 anos. Foram utilizados quinze tratamentos e cinco repetições por tratamento em delineamento inteiramente casualizado sob diferentes tipos e doses de substratos: composto orgânico de lixo urbano, bagana de carnaúba e casca de arroz carbonizada adicionados a amostras de subsolo de Latossolo Amarelo para compor cinco diferentes proporções de cada substrato: subsolo (%): 0:100; 20:80; 40:60; 60:40; 80:20. Os três substratos orgânicos testados influenciaram significativamente, proporcionando um melhor desenvolvimento das mudas de Enterolobium contortisiliquumem em comparação com a testemunha, sem adição de nenhuma fonte orgânica. Os substratos bagana de carnaúba e composto orgânico de lixo urbano foram os substratos recomendados para produção de mudas para recuperação de áreas em desertificação no Piauí.

Palavras-chave: Semiárido. Recuperação áreas degradadas. Leguminosa.


Palavras-chave


Semiárido; Restauração Florestal; Leguminosas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18406/2316-1817v8n32016884

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Agrogeoambiental

Rev. Agrogeoambiental, Pouso Alegre, MG, Brasil. e-ISSN: 2316-1817

Licença Creative Commons

A Revista Agrogeoambiental está licenciada por uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.